O exercício é como uma mobilização de tropas e as tropas são as células imunológicas

Relacionados

Podemos ter mais cidade

“A pandemia, genericamente, corrigiu velhas distorções nas cidades, sobretudo o facto negativo de haver ruas demais para a circulação de veículos motorizados. Vimos as cidades

Ver »

A cidade que muda com a Covid

“Nós, mulheres, deixamos de ir a alguns sítios para evitar que certas coisas (riscos) aconteçam. Autocensuramo-nos, limitamos os nossos movimentos na cidade, limitamos a nossa

Ver »

Andar a pé, mesmo em confinamento, para proteger o sistema imunitário

Crédito: AFP
O exercício é como uma mobilização de tropas e as tropas são as células imunológicas

Os estudos de Richard Simpson, professor de Imunobiologia e Ciências Nutricionais na Universidade do Arizona, investigam o modo como a atividade física está relacionada com a capacidade do nosso corpo para combater as doenças. O foco de décadas de investigação tem incidido sobre o stress e o cancro.

A investigação da equipa de Richard Simpson passou pelo estudo de efeitos da falta de regime de exercício sobre o sistema imunitário de astronautas da NASA em prolongadas missões espaciais. Constatou tendência para o despertar de vírus que estavam adormecidos no corpo. Consequência da imobilidade ou falta de atividade física.

Richard Simpson tem sido questionado sobre a analogia entre o isolamento dos astronautas numa cápsula ou na acanhada estação espacial com o isolamento de tantos milhões de pessoas pelo confinamento perante o covid-19. Não há ainda respostas com evidência científica. Simpson recorre ao conhecimento que está adquirido: “Sabemos que o exercício físico moderado ou vigoroso faz libertar hormonas para reconhecer e eliminar as que estão atacadas por algum vírus”.

Numa entrevista ao britânico The Telegraph, Simpson compara o efeito da atividade física com o da mobilização de um exército: “O exercício é como uma mobilização de tropas e as tropas são as células imunológicas”.

Richard Simpson lembra que em situações de isolamento ou confinamento há propensão para estados de stress, que por sua vez faz libertar glicocorticóides, designadamente o cortisol que, como é sabido por décadas de pesquisa têm efeitos supressores no sistema imunitário.

Por todos os motivos: mesmo em confinamento, não podemos prescindir da atividade física regular, pelo menos a mais acessível, andar a pé. De preferência em passada robusta, ativante do sistema cardiorrespiratório (um teste simples: em passada robusta, conversar fica um pouco menos fácil).

Ver mais:

Foto de capa: A astronauta da NASA Christina Koch viveu e trabalhou em confinamento durante 328 dias na Estação Espacial Internacional Crédito: AFP

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email

Mais Artigos